Música de gente jovem.

Tristeza não tem fim felicidade sim? Vinicius de Moraes?

Não! TPM.

Ontem eu estava com altos, baixos, médios, baixos…..ora querendo voltar no tempo, ora querendo acelerar no mesmo, enfim, aquela confusão mental que só nós mulheres sabemos como é. Meio feliz, meio triste, andando pela rua (voltando da academia tá? nada de andarilha feelings…) rindo, depois cara fechada….

Aí achei que se colocasse umas músicas de gente jovem tipo as que tocam no programa NÓS 3 da Multishow eu ficaria mais animada então deixei rolar um Phoenix, Empire of the sun e afins.

Tudo bobagem. Além de não melhorar meu astral me fez chegar à conclusão que não quero mais expandir meus horizontes musicais e me fez tb desistir daquela história de “preciso conhecer novos sons!!”.

Não quero conhecer nada novo, fechei. Vou continuar pra sempre ouvindo minhas coisas dos anos 90 até no máximo começo de 2000 e fim (exceto pelos Teenagers…).

Aconteceu que me conformei de que não vai aparecer nada imperdível, nada vai mudar minha vida como as bandas dos anos 90 e que a melhor coisa seria vou terminar meu dia ouvindo as mesmas coisas que sempre ouvi nos momentos com os mesmos sentimentos. Foi essa a sequência:

Sensefield que é e sempre será meu primeiro da lista das preferidas e que já embalou muitas das minhas histórias mais legais da vida. Melhor disco: Tonight and Forever.

Tommy Guerrero skateiro que resolveu fazer um som, que não tem vocal (adoro essa energia) e tb já embalou alguns dos meus momentos inesquecíveis do final da minha adolescência. Melhor disco: Soul Food taqueria

Pedro the lion, que aliás devo agradecer à um amigo que me fez ver com outros olhos esta banda que eu nunca dei mta bola. Melhor disco: não sei ainda, mas a música que mais gostei foi when they really get to know you they will run.

Josh Rouse, que depois que ouvi no filme Vanilla Sky e baixei, me apaixonei pra sempre e profundamente por ele. Melhor disco: Nashville

Karate, que é uma banda que quase ng conhece mas todo mundo que ouve fica meio passado. Melhor disco: Unsolved

e por fim o Jeff Buckley que conheci na mesma época (se não no mesmo dia…) que o Josh.R e é mais para os momentos de depressão profunda beirando o suicídio (Jeff Buckley morreu misteriosa e tragicamente, tá?). Melhor disco: Sketches for my Sweetheart the drunk (além de tudo é póstumo).

Meus releases são os piores que vc já leu na vida? Fala a verdade!

Tudo bem, afinal são releases de uma mulher com humor e hormônios oscilando e não dá pra esperar nada mais elaborado e menos didático do que isso, uma vez que nós mulheres sempre associamos as músicas aos nossos sentimentos e momentos (vai falar que vc não ouve AQUELA música e lembra DAQUELE momento que te faz rir que nem uma boba…).

e pra finalizar, ele.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: