Arquivo para janeiro, 2010

Receita Quiche-Lorraine-Narvaez

Posted in 1 on janeiro 31, 2010 by Paula Narvaez

agora vou passar a receita do quiche sucesso que eu aprendi.

a massa é básica, o recheio vc escolhe, pode ser esse que eu vou passar, pode ser de peito de frango desfiado ou de queijos amarelos e calóricos…pode ser do que vc quiser.

Massa:

2  1/2 xic da farinha de trigo

150 g de manteira

1 col cha sal

1 ovo

2 col sopa de água

Misturar até ficar uma massa homogenea, embrulhar no filme plastico e deixar 15 minutos na geladeira.

montar de pedasinho em pedacinho num refratário de vido.

Recheio Saudável

1 lata creme de leite (pode ser light, mas fica mais aguado do que o normal)

1 ovo

2 tomates picados

150 g de queijo-minas

1 colher chá de tempero completo (aqueles de pote super fortes)

Bater o creme de leite, o ovo e o tempero no liquidificados e depois misturar o restante (sem bater no liqui)

Despejar o recheio na massa montada no refratário (colocar orégano e queijo ralado se quiser).

Deixar no forno 180 graus por 45 minutos.

Tirar do forno e esperar uns 20 minutos para servir pois é o tempo que levar pra esfriar e firmar o recheio.

Outra infalível, amiga…e fácil!

Anúncios

Bolo Narvaez

Posted in 1 on janeiro 31, 2010 by Paula Narvaez

Amigas, vou contar minha receita mais fácil do mundo de bolo de cenoura.

Fica muito, mas muito fofinho!!!

2 cenouras médias picadas

2 xic farinha de trigo

2 xic de açucar

3 ovos

1 xic de óleo

1 col sopa de fermento

mistura tudo no liquidificador e coloca no forno pré-aquecido e deixa na temperatura de 160 graus.

deixe no forno por + ou – 50 minutos, não abra o forno antes de meia hora, quando der meia-hora retire, de umas facadinhas para desestufar e coloque de volta por mais 20 min no fogo um pouquinho mais alto.

Cobertura:

2 col açucar

2 col chocolate em pó

2 col manteiga

1 col água (opcional)

misture tudo até ficar homogêneo e coloque no bolo ainda quente.

ofereça ao seu bofe e ele vai se jogar aos seus pés.

beijo

Bode

Posted in 1 on janeiro 29, 2010 by Paula Narvaez

Olha, sinceramente eu tenho um certo bode das celebridades que enfatizam em suas entrevistas que não fazem nada para ter o corpo em forma.

Qual o problema de assumir que rala na academia? Acho muito mais estimulante e interessante ler isso do que ler que a gatinha tem o corpo que Deus lhe deu  e nunca fez nenhum esforço (de quebra fala que come horrores de chocolate).

Não duvido que existam pessoas realmente abençoadas e que não precisam fazer nada, mas Mariana, me desculpa, não acho que vc seja uma delas, seu biotipo não me engana.

http://ego.globo.com/Gente/Noticias/0,,MUL1466475-9798,00-COM+BARRIGA+DE+FORA+MARIANA+RIOS+POSA+PARA+REVISTA+E+DIZ+NAO+MALHO.html

New Face

Posted in 1 on janeiro 29, 2010 by Paula Narvaez

A American Apparel está em busca da nova bunda-propaganda da marca.

Se interessa, amiga?

Se joga então!

Tóin!

Posted in 1 on janeiro 26, 2010 by Paula Narvaez

Uma vez uma leitora me perguntou como eu cuidava dos cachos da Malu e eu não sou dar nenhuma dica realmente preciosa, afinal até então não conhecia nenhum produto realmente incrível para os tóin da Malu.

Agora tudo mudou, descobri um Shampoo da Natura chamado NatuRÉ. Na verdade é uma linha inteira e nela tem os produtinhos para cabelos enrolados, shampoo, creme rinse e leave-in.

Sinceramente achei ótimo, os cheirinhos dos produtos são demais e realmente deixam os cachos lindos de viver.

Eu usei no meu cabelo e suuuuper aprovei, afinal eu testo tudo em mim antes de colocar na Malu.

Acho que custa R$11,00 ou R$12,00…

Já deu…

Posted in 1 on janeiro 26, 2010 by Paula Narvaez

essa temporada de chuva, hein?

Just in case, vá de Chanel!

Ego.

Posted in 1 on janeiro 17, 2010 by Paula Narvaez

Hoje me deu vontade de falar sobre o ego.

Fiz um balanço dos últimos meses da minha vida e me deu vontade de falar sobre essa parte da consciência (a mais superficial de todas) das pessoas que tanto influênciou os caminhos.

O ego conforme consta é o “centro da consciência inferior, diferente do Eu, que é centro superior da consciência.” E na minha insignificante opinião é ele que destroi amizades, amores, relações profissionais e tudo mais que é extremamente importante nas nossas vidas, é ele que deixa as pessoas desesperadas, loucas e numa eterna insatisfação, uma eterna busca sei lá pelo o que.

Tive o desprazer de conhecer uma pessoa extremamente desagradável no local onde trabalhava, sei que ela não é a única no mundo, mas foi a que eu observei mais de perto até hoje.

Fiquei bem impressionada com a maneira como é obssessivo o desejo de provar ! Provar o que quer que seja, simplesmente provar e tentar fazer com que o mundo inteiro acredite ignorando assim o que esse mesmo mundo inteiro tem a dizer ou mostrar.

Isso não serve só para essa pessoa não, serve para todo mundo que acha, jura e tem certeza absoluta que sabe de tudo e fala isso com a boca cheia.

Meu amor, a gente não sabe nada de nada, a vida vive dando lições, dando voltas, mudando coisas que pareciam tão certas e desmentindo verdades que pareciam tão aboslutas. Eu já aprendi isso, por isso não sinto mais o desespero quando as coisas não saem como EU planejei.

Nos últimos dias eu pude ter certeza que as coisas dão voltas e se a gente têm por destino voltar para o mesmo lugar (de onde não deveriamos ter saído) a gente volta mesmo.

Eu sempre acreditei muito nas pessoas, sempre fui uma amiga classe A (modéstia à parte), sempre fiz o possível e às vezes até o que eu não deveria para ajudar as pessoas, e sinceramente prefiro continuar assim na minha vida, percebi que isso faz com que meu coração permaneça aberto e corado, posso quebrar a minha cara algumas vezes mas tenho certeza que no final da minha vida vou ter me orgulhado de ter sido doce com quase todo mundo que passou por ela.

O EGO seria um bom motivo para eu começar a desconfiar um pouco mais de todo mundo, afinal ele já me mostrou sua cara diversas vezes, tanto em pessoas queridas quanto nas mais insignificantes, só que não é o suficiente.

Prefiro continuar boba e doce à ser o contrário (dos dois adjetivos).

A maternidade me deu a doçura que eu nunca tive, sempre fui encrequeira,  não gostava de determinadas pessoas sem ao menos uma desculpa pláusivel para tal, implicava e gongava todo mundo que não era da minha turma, dentre outras babaquices…..

Ser doce dá menos trabalho do que não ser.