R.I.P

E eles estão ficando velhos, morrendo ou ficando doentes…..

mas nada vai apagar nunca a época incrível em que viveram e a história maravilhosa que compuseram para o cinema brasileiro.

Semana passada morreu Anselmo Duarte , que foi o maior galã do cinema brasileiro nos anos 1940 e 50 e estrelalou obras na Cinédia, na Atlântida e na Vera Cruz, foi tb o único brasileiro premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes, um dos mais importantes eventos cinematográficos do mundo.

Ele fez, dentre outros filmes, Aviso aos navegantes na Atlântida, o que aliás abre uma brecha para eu contar a história do meu avô (ainda vivo) Chucho Narvaez, diretor de fotografia, repórter cinematográfico e documentarista. Nascido na Cidade do México, México em 1922, onde começou sua longa carreira nos estúdios Churubusco e Azteca.

Na verdade ele chama Jesus Narvaez Y Suarez, mas Jesus no México é Chucho…

Chucho tb morou nos EUA e trabalhou em grandes estúdios em Hollywood. Ele vive no Brasil desde 1948, qdo veio para rodar uma produção americana, foi quando conheceu minha avó Myriam, que é mineira mas morava no Rio, e dois anos depois teve meu pai, Paulo Emilio Narvaez Barcellos.

Ele trabalhou na Atlântida Cinematográfica, na era de ouro das chanchadas, com Oscarito, Grande Otelo e  Anselmo Duarte, aliás, vovô Chucho tá arrasado com a perda do amigo…

Em 1965 foi um dos fundadores da Rede Globo, onde realizou grandes reportagens como A guerrilha boliviana de Che Guevara, ele conseguiu entrar na guerrilha e filmar tudo— para transitar e filmar na selva levaram uma carta de recomendação do então ministro da Guerra , Costa e Silva, ao governo boliviano.

Na festa de 40 anos do Jornal Nacional ele foi um dos homenageados e dizem as más linguas que saiu de lá cambaleando de tanto Whisky (meu avô toma tequilita todos os dias junto com seu remédio para labirintite), ele tb foi o primeiro ganhador do prêmio Gato de Ouro (que aliás eu vou tatuar),

Em 1969 passa a trabalhar, na Rede Globo, com o polêmico jornalista e político Amaral Neto e cria um novo estilo de documentários na TV o programa “Amaral Neto, o Repórter”. Anos mais tarde. nas décadas de 1980 e 1990 passa a dirigir o Centro de TV e Cinema da Petrobras, a INTERBRÁS, aí ferrou-se tudo, pq vovô Chucho está na justiça até hoje para receber a grana da Petrobrás, então calculo que os filhos de Maria Luiza minha filha devam ver a cor desse dinheiro….

Enfim, meu avô é meu ídolo, é a pessoa mais cool que já conheci, vc entra na casa dele tem desenho de sua caricatura feito pelo Ziraldo, tem fotos com Carmem Miranda, Grande Otelo, tem super 8 empoeira, enfim, é tipo um museu da TV e eu não deixo de me emocionar toda vez que vou visitá-los, então fica minha homenagem para meu grande ídolo Vovô Chucho e meus votos para Anselmo Duarto, que foi um gênio do cinema tb!!

OgAAAPGMGnHGmRh-MhmJSCjgqW3duGdyY5vLIcbFIPZML9qceU7c9f1adLs9B45AseokUpCv7ClbKo7g4s7QtyBT1tYAm1T1UCr4QMs7OFK36PKXBXUjduOv4ULD

http://memoriaglobo.globo.com/TVGlobo/Comunicacao/Institucional/memoriaglobo/CDA/Pop/tvg_cmp_memoriaglobo_pop_imprimir/0,43574,237449,00.html


http://arfoc.org.br/paparazzi/default3.asp?idperfil=26&idedicao=20&v=s

http://www.americanas.com.br/cgi-bin/WebObjects/Catalogo.woa/wa/materia?mat=4187

1133786976_f

DSC04829

DSC04832copy

” Falando fluentemente além do português e do espanhol, francês e inglês percorreu filmando o trajeto de Kennedy até seu assassinato em Dallas. Depois, foram para o velório, em Nova Iorque, e numa corrida contra o tempo para o enterro, em Washington. No cemitério de Arlington, no meio da multidão, ele tentava o melhor ângulo de filmagem, perto de uma plataforma onde estava a imprensa local. Do alto, um agente do FBI o reconhece de outras matérias, bate no seu ombro e o indaga sobre sua incumbência no local. Quando Chucho lhe explica, é “subido” e passa a filmar e a contar para Hilton Gomes, embaixo, o que se passava. Foi assim que o repórter gravou a narração para o Brasil da cerimônia fúnebre de Kennedy. Rápido, voaram de novo para NI para entregar as fitas na Varig, incumbida de trazê-las ao Brasil para as mãos da então editora Alice Maria — este era o método usado antigamente. Mas essas e outras reportagens históricas foram destruídas no primeiro incêndio ocorrido na TV Globo”

nem-sansa-nem-dalila02

Nem Sansão, nem Dalila.

Anselmo Duarte-foto2

Anselmo Duarte.

Anúncios

3 Respostas to “R.I.P”

  1. Adorei seu blog. Descobri há pouco, mas já gostei…
    bjs

  2. Chucho é uma pessoa realmente incrivel !!

  3. Que orgulho hein!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: